Angola proibirá reexportação de alimentos importados

    O Governo de Angola proibirá a reexportação de alimentos que o país importou para o consumo interno. Conforme anunciado em 18 de fevereiro pela ministra angolana do Comércio, Rosa Capavira, a medida será adotada por meio de um decreto ministerial que está em fase de elaboração.

    A ministra afirmou que a proibição tem como objetivo combater a tendência vivida nos últimos meses de massiva reexportação de bens da cesta básica nacional. Capavira explicou que essa reexportação tem como principais destinos os países vizinhos de Angola e ameaça a oferta interna de produtos como arroz, açúcar, farinha de milho, feijão, sabão e óleo alimentar.

    A representante do Governo angolano adiantou à agência noticiosa Angop que a proibição não afetará os residentes das regiões limítrofes do país que costumam atravessar a fronteira para comercializar produtos para sua subsistência.

Sugerido:

Conferência em Lisboa apresenta o cenário atual do mercado angolano

Brasileiros investem em 50 fazendas no Sudeste de Angola

Acompanhe a Mercados & Estratégias