Relatório Doing Business aponta pioras no ambiente de negócios de sete países de Língua Portuguesa

     Durante o ano de 2016, a facilidade de fazer negócios piorou em sete países de Língua Portuguesa, segundo aponta o relatório Doing Business.

    Elaborado pelo Banco Mundial, o estudo é considerado um dos mais completos relatórios sobre a situação econômica e empresarial de 190 países. A versão mais recente, publicada em 25 de outubro, revela que, dos nove países de Língua Portuguesa, apenas Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe apresentaram melhorias no ambiente de negócios.

Leia também: Angola e Moçambique mantém-se entre os principais destinos de investimento na África

    Dentre os membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), a maior subida na pontuação final foi a de São Tomé e Príncipe, que cresceu 1,25 pontos e atingiu 46,75 em 2016. O relatório ressaltou que o país estabeleceu um salário mínimo para o setor privado, o que estimulou a melhoria. A maior queda na pontuação, por outro lado, foi vivida pelo Timor-Leste, que caiu 3,14 pontos em relação ao ano passado, registrando agora um total de 40,88.

Leia também: A situação atual da economia do Timor-Leste

    De acordo com o ranking global, o melhor ambiente de negócios da CPLP continua sendo o de Portugal, que ocupa a 25ª posição, seguido por Brasil e Cabo Verde, respectivamente nas classificações 123 e 129 do índice mundial. Os três, mesmo assim, ocupavam posições superiores no ano passado.

    Dentre os três membros da CPLP que subiram no ranking mundial, o maior salto foi o da Guiné-Bissau, que ocupa hoje o 172º lugar, seis acima do que no ano passado. O estudo destacou que o país africano melhorou seu sistema de resolução de insolvências. O Brasil, por sua vez, viveu a maior queda ao cair para a 123ª posição, sete abaixo do que em 2015. O país piorou nos critérios de acesso à eletricidade e resolução de insolvências.

Leia também: Entrevisamos o presidente da Câmara de Comércio Portugal Cabo Verde

    Lançado em 2002, o Doing Business analisa a evolução anual das regulações nacionais referentes à criação e ao funcionamento de pequenas e médias empresas. Diversos processos são levados em consideração, incluindo a abertura de empresas, o pagamento de impostos e a execução de contratos. Veja abaixo as pontuações e as posições no ranking global de cada país da CPLP, assim como a variação em relação ao ano passado.

PUBLICIDADE

Acompanhe a Mercados & Estratégias